Osteopatia Desportiva


Osteopatia Desportiva

A Osteopatia Desportiva tem cada vez mais um peso na nossa sociedade porque atualmente a prática de atividade física tem feito de alguma forma cada vez mais parte do nosso quotidiano. Seja por lazer ou como na alta competição, a procura da boa forma física tem sido sempre e cada vez mais associada a uma perspectiva de saúde e bem estar.

 

Osteopatia Desportiva e Ginastica

A importância da Osteopatia Desportiva

Grande parte das lesões desportivas acontecem por um desequilíbrio postural do atleta ou por um elevado ritmo de treino e competição sem o devido descanso ou até mesmo por uma má utilização de um equipamento de musculação. O treino e o descanso são igualmente importantes para uma boa performance de um atleta e este nem sempre é respeitado.

Qualquer perca de mobilidade de uma articulação, de um músculo, de ligamentos pode provocar um desequilíbrio no estado de saúde. Para os atletas uma simples contractura até uma dor crónica altera de alguma maneira as suas performances.

Os atletas submetem o seu corpo a vários constrangimentos importantes. O conjunto de estruturas biomecânicas é solicitada tais como articulações, músculos, tendões e ligamentos.

O osteopata saberá, pela sua ação específica sobre o conjunto do corpo reconhecer e tratar as verdadeiras causas das dores que estão a limitar a prática de qualquer atividade desportiva, seja ela praticada por atletas amadores ou por atletas de alto rendimento.

Os melhores resultados obtidos com o tratamento por osteopatia são os problemas ditos funcionais, isto é, dores em que não sabemos ao certo a sua causa, mas que nos incomodam e isso acontece frequentemente nos atletas. Um organismo bem equilibrado não irá sofrer sobrecargas gastando menos energia para a prática de atividade desportiva.

Vantagens do uso da Osteopatia Desportiva

A osteopatia desportiva sendo uma terapia manual, cujo o objectivo é a restauração da mobilidade perdida, irá atuar sem o uso de qualquer medicação. O tratamento é feito através de palpação e de técnicas manuais. O osteopata usa apenas as suas mãos e os seus conhecimentos para o tratamento de lesões.
O tratamento com fármacos, além de fazer prevalecer o uso de químicos, é restrito devido à proibição do uso de certas substâncias para quem pratica desporto profissional. O fato de a utilização da Osteopatia utilizar técnicas manuais é uma vantagem relativamente a outras práticas, podemos dizer que os tratamentos são completamente naturais.

Num exame de osteopatia o osteopata depois de ouvir o paciente, irá estudar um esquema postural e praticar um balanço palpatório osteopático no atleta. Depois desta primeira abordagem, ele estabelece uma programação terapêutica própria para cada atleta, isto é, ele faz uma escolha pela ordem e técnica que irá utilizar. O objectivo será de voltar a dar efetivamente ao atleta a amplitude da sua articulação, como também de relaxar os músculos contraídos.

O osteopata ao realizar algumas mobilizações músculo-articulares do atleta alguns ruídos podem produzir-se. Na realidade não é nada de anormal é apenas a pressão exercida numa bolha gasosa contida na articulação. Não existem efeitos secundários.

A osteopatia tem também um efeito de prevenção. É possível para os atletas consultarem um osteopata mesmo sem sentir qualquer dor ou problema articular. Uma visita regular, por exemplo, de duas a três vezes por ano permite prevenir uma lesão. Assim podem reequilibrar as diferentes estruturas com mais facilidade.

Uma estrutura óssea bem corrigida em termos simétricos e os músculos bem tratados irão diminuir o risco de lesões em atletas. Os músculos irão assim adquirir uma boa preparação para um nível de exigência superior em termos de esforço físico.

Problemas Musculares

Graças ao trabalho do osteopata a recuperação dos atletas após lesão é cada vez mais rápida, corrigindo os desequilíbrios biomecânicos dos atletas ajudando-os a restabelecer a biomecânica muscular e articular mais rapidamente.

O exame de osteopatia irá optimizar uma maior quantidade de oxigénio e energia a nível muscular favorecendo a sua potência e resistência, conseguindo assim o aparecimento de melhores resultados desportivos.

As lesões nos jovens atletas são cada vez mais frequentes. As suas capacidades estão no auge e é exigido um enorme esforço físico. O seus corpos estando em crescimento torna-os mais vulneráveis a lesões mas pelo mesmo facto de serem mais frágeis, também os seus corpos regeneram mais facilmente. Um osteopata assim terá mais facilidade em auxiliar o corpo de um jovem atleta a ter as capacidades de se auto curar.

O impacto da Osteopatia Desportiva

A maior parte das equipas desportivas de qualquer desporto, desde o atletismo passando pelo boxe, râguebi, basquetebol, futebol, natação, etc, possuem um osteopata na sua equipa médica que estão focados na prevenção e manutenção melhorando os desempenhos desportivos e prevenido possíveis lesões dos seus atletas.

Um exemplo disso é o Osteopata Carl Todd, osteopada consultor da prestigiada equipa de futebol Chelsea e da seleção Inglesa de Futebol. Isto denota a importância dada a esta terapia e que é possível obter melhores resultados desportivos com a utilização da Osteopatia.

Chelsea usa Osteopatia Desportiva

Existem inclusive associações como a OSCA (The Osteopathic Sports Care Association) que se dedicam em exclusivo a temas relacionados com a utilização da osteopatia no desporto. Assim qualquer exame de osteopatia, seja de prevenção de lesão ou para reestabelecer qualquer tipo de lesão irá optimizar as performance de um atleta como também ajuda-lo a sentir-se mentalmente mais confiante para qualquer prova desportiva.

Exemplos da Osteopatia Desportiva e resultados surpreendentes

Foi efetuado um caso de estudo na implementação da osteopatia no desporto na competição de barcos America’s Cup Yachting onde uma equipa de 30 velejadores profissionais foi submetida a práticas osteopatas.

Osteopatia Desportiva

Em 2004 não receberam qualquer tratamento, em 2005 foi efetuado um tratamento preventivo, em 2006 foi desenvolvido um programa de tratamento osteopata e em 2007 um programa de recuperação baseado em exercícios de estabilidade, alongamentos pós competição e utilização de roupas de compressão.

Em 2004 o número de velejadores com lesões por dia e competição foi de 1,66% e em 2007 este número estava reduzido a 0,60% por dia/competição.

Em 2004 o numero de atletas com mais de uma lesão era de 8 em cada 15, tendo este número em 2007 diminuído para 2 em cada 12 o que resulta numa diminuição de 53% em lesões, e que são valores bastante significativos.

Mais exemplos podem ser revistos como é o caso do jogador Arjen Robben, atualmente ao serviço do Bayern de Munique, mas que passou pelo Chelsea F.C. e pelo Real Madrid. A Osteopatia Desportiva deu uma ajuda a diversas lesões deste jogador.

Conclusão

Não deixe de praticar o desporto que gosta, nem deixe que antigas lesões pela prática de desporto ou do trabalho impeçam o seu dia-a-dia. Se vai iniciar-se também no desporto, ou o seu filho está a iniciar a prática de alguma modalidade, não deixe de prevenir o seu bem estar e proporcionar-lhe um maior rendimento com a ajuda da Osteopatia.

Contacte-nos e teremos todo o gosto em esclarecer as suas dúvidas.