Osteopatia Pediátrica


Osteopatia Pediátrica

A osteopatia pediátrica permite detectar, corrigir e tratar eventuais desequilíbrios  ou traumas no bébé e nas crianças. Cada vez mais os pais recorrem a osteopatia para o tratamento dos seus filhos.

 

Osteopatia Pediatrica

A osteopatia passo a passo na criança

De uma maneira geral é possível levar o seu filho a um osteopata uma vez por ano para fazer um balanço global. Mas alguns períodos de desenvolvimento de uma criança necessitam mais particularmente a atenção dos pais.

Entre o 0 e os 2 anos de idade, a criança pode ser seguida depois da sua nascença para verificar se o parto não gerou qualquer traumatismo.
Aos 6 meses, uma visita ao osteopata irá permitir controlar o seu desenvolvimento psicomotor, ajudando a criança a adoptar uma boa postura no inicio dos seus primeiros passos.

A etapa dos primeiros passos da criança é essencial, visto que irá mobilizar a sua bacia, articulações do joelho e tornozelo. Restabelecer o equilíbrio do corpo pode ajudar a criança a andar mais facilmente.

Interesse da osteopatia nas infeções crónicas em crianças

Como os adultos, a osteopatia pediátrica preocupa-se com as crianças que apresentam infeções  ORL (otites, sinusites, etc.) ou infeções pulmonares. Para bronquites, por exemplo, o osteopata irá procurar se existe uma restrição de movimento ao nível do diafragma. Se for o caso, a drenagem poderá não se fazer corretamente favorecendo assim a instalação de agentes infecciosos. O osteopata vai então procurar voltar a dar mobilidade ao corpo para este voltar a ter o seu equilíbrio.

 

As dores nas costas ou nos membros são frequentes nos adolescentes durante o seu crescimento. Quanto mais cedo forem encontradas pelo osteopata mais facilmente ele terá meios para intervir e prevenir essas dores. Ele ira reequilibrar o corpo e se possível poderá trabalhar com a colaboração de um ortopedista, pediatra e até mesmo de um dentista. Uma má colocação da mandíbula pode ter repercussões ao nível da cervical e lombares e vice-versa. Graças a sua abordagem global ao corpo um osteopata pode perceber qual é a origem da dor.

 

Osteopatia na gravidez

 

A osteopatia pode ajudar as mulheres grávidas nos traumas de origem mecânica, por exemplo, lombalgias, ciática, cervicalgias e dores nos ligamentos. Pode agir tambem nos traumas gástricos, prisão de ventre, pernas pesadas, etc. Em geral irá ajudar a mulher grávida a se movimentar melhor e dormir melhor.

 

Durante a gravidez, a coluna vertebral é fortemente solicitada devido ao peso do bébé. As tensões aparecem e as futuras mães não sabem como conseguir um alivio dessas dores/tensões, principalmente durante o sexto ao nono mês de gravidez. O osteopata irá com manipulações muito suaves reequilibrar a bacia, vértebras, crânio e articulações da mulher grávida.

O conforto e o alívio de tensões são os principais fatores que levam as mulheres grávidas a consultar um osteopata.

 

Osteopatia Pediatrica

Quais as dores que podem levar um grávida a consultar um osteopata?

As lombalgias, dores nos ligamentos, dores de cabeça, problemas de circulação, cervicalgias, refluxo gástrico, insónias entre muitas outras.

O osteopata irá agir na globalidade do corpo da mulher grávida. Manipulando suavemente as zonas em causa, o profissional encarrega-se de melhorar a mobilidade das estruturas. A bacia aliviada irá permitir um parto mais suave.
A osteopatia para mulheres grávidas não substitui o curso de preparação para o parto!

Quais são os resultados que podemos esperar?

Uma ou duas consultas de osteopatia devem ser suficientes para acalmar a dor, especialmente durante o terceiro trimestre de gravidez.

Há algum risco para a mãe ou para o bébé?

As técnicas de osteopatia podem ser praticadas em qualquer fase da gravidez. A única dificuldade desta prática para o profissional reside no facto de não poder deitar a mulher grávida em decúbito ventral (de barriga para baixo) durante as manipulações.

Não existe nenhuma consequência para a saúde do bébé, visto que o trabalho do osteopata é direcionado principalmente no reequilíbrio das zonas afectadas.

Se tiver dúvidas, contacte-nos!

Osteopatia Pediatrica